Currículo na Internet

Estava agora a acabar de actualizar o meu currículo e deparei-me com uma duvida. Não é uma dúvida de agora mas fiquei sem saber bem o que fazer.

Hoje em dia, quando vamos para uma entrevista de emprego, já a entidade que nos vai ouvir e avaliar sabe mais sobre nós do que apenas o que expomos no currículo. No fundo isso é bom para ambas as partes: nem nós somos apenas meia dúzia de graus académicos e experiências profissionais, nem eles, a futura entidade empregadora, dão um tiro no escuro pensando que estão a tentar contratar o próximo Steve Jobs, quando o entrevistado nem conhece o fundador da Apple. Depois de uma breve passagem de olhos pelo currículo segue-se uma pesquisa na internet pelo candidato. E é aqui que começam os problemas.

Se é verdade que a maior parte dos jovens, actualmente, têm um perfil criado no Facebook, no (já ultrapassado) Hi5, LinkdIn, Twitter ou o que seja, é bom não esquecer que todo o conteúdo criado é público. Sim, publico! É um historial pessoal que fica guardado e armazenado na internet.

É muito engraçado colocar fotos de grandes festas, falar dos excessos das noites de fim-de-semana ou por online vídeos das danças mais absurdas provocadas por um elevado teor alcoólico ingerido. Isso torna-nos socialmente agradáveis e demonstra que, no fundo, somos pessoas normais, iguais a tantas outras e que vivemos a vida, seja lá da maneira que for. O problema é quando esse conteúdo é mal utilizado.

É o mesmo princípio duma empresa que produz armas de fogo. Eles produzem armas letais, de facto, mas serão eles os responsáveis pelas mortes provocadas pelos seus produtos? Ou quem faz o mau uso das armas?

As ferramentas das redes sociais e a utilização da internet podem ser o nosso maior aliado ou o nosso pior inimigo. É preciso ter muito cuidado com a informação que disponibilizamos. Devemos dar-nos a conhecer a todos os níveis: a nível social, para nos mantermos em contacto com os amigos ou mesmo para conhecer novas pessoas, e em termos profissionais, para nos demarcarmos da nossa concorrência e fazer o nosso próprio Branding pessoal. Resta saber fazê-lo sempre cientes dos riscos que a informação pública pode promover.

Nesse sentido, faz sentido criar uma secção, no currículo, com as nossas presenças na internet? Com os respectivos links para as nossas páginas e blogs? Dar-nos a conhecer abertamente ou omitir essa informação?

É uma questão que acho pertinente, que convido ao debate, e na qual irei reflectir e mais tarde voltar. Agora vou ali apagar algumas fotos do Facebook e eliminar o meu blog.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

  • Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

    Junte-se a 8 outros seguidores

%d bloggers like this: