A Maior Banda de Todos os Tempos Começou Assim

Há precisamente 50 anos tinha início uma das mais belas histórias dentro dessa longa e fascinante história que foi o século XX. Em Agosto de 1960, cinco rapazes ingleses de penteado moptop subiam ao palco do Indra Club em Hamburgo, protagonizando um espectáculo que poucos na sala pensariam vir a constituir um momento ímpar da história musical (e do próprio século). E eles, sem o saberem, estavam lá.

Hamburgo foi a primeira escala de uma banda que até aí não sabia bem por que nome responder. Quando John Lennon, então um rapazinho de 16 anos que gostava de Elvis, conheceu Paul McCartney, de 15, já tocava há alguns meses com um grupo de amigos, a cuja banda chamaram The Quarrymen. O nome, emprestadado do liceu que frequentavam, viria a sofrer várias metamorfoses, para nomes tão inverosímeis como The Blackjacks, Johnny and the Moondogs, Long John and the Beatles e, finalmente, para o um pouco mais familiar The Silver Beatles, até que, naquele Agosto de 60, Lennon e seus pares acordaram o nome The Beatles. O nome devia-se ao gosto que Stuart Sutcliffe, amigo de Lennon e também ele membro dos The Quarrymen, tinha por Buddy Holly e a sua banda The Cricktes. Para além da enorme influência que Holly e a sua banda tiveram em Lennon e em Sutcliffe, a verdade é que o nome The Beatles é uma homenagem a Holly, por este último, poucos anos antes, por muito pouco não ter posto esse nome à sua própria banda.

Os (primeiros) Beatles no Indra Club, Hamburgo, Agosto de 1960

Ainda The Quarrymen, o tal encontro de Lennon com McCartney, no intervalo de um espectáculo no jardim de uma igreja em Woolton, um subúrbio de Liverpool, em 1957, ditaria para sempre o rumo do conjunto. Lennon de imediato se identificou com McCartney. Estava encontrado o duo central dos futuros The Beatles, e o par musical produtivamente mais criativo e admirado da história da música. Ainda em 57, McCartney apresentava a Lennon o seu amigo George Harrison, um miúdo de apenas 14 anos. Harrison teria de se haver com a resistência de Lennon em inclui-lo no futuro super-grupo, devido à sua precoce idade (George viria mesmo a ser deportado da Alemanha por ter mentido sobre a sua idade, contando 17 em 1960).

Mas porquê Hamburgo?

Ainda nesse Agosto de 1960, os Beatles contavam com quatro elementos: Lennon, Sutcliffe, McCartney, e o ainda mais jovem Harrison. A urgência de um baterista levou a banda a incluir, poucos dias antes de viajar para Hamburgo, Pete Best. A primeira versão completa dos The Beatles viajaria para Hamburgo nesse mesmo mês por intermédio do então manager semi-oficial, Allan Williams. Na época, era em Hamburgo que muitas bandas de Liverpool procuravam projectar-se, almejando o melhor arranque de carreira possível. Hamburgo detinha improváveis semelhanças e paralelismos com Liverpool: para além de grande cidade portuária, Hamburgo era a segunda cidade do país e, tal como Liverpool, fora alvo de bombardeamentos durante a II Guerra Mundial. Desde o final da guerra que esta cidade alemã, situada em pleno sector de ocupação britânico, manteve uma ligação estreita à Grã-Bretanha por via da rendição às tropas inglesas em 1945, que por lá permaneceram, aprontando terreno para uma facilitada absorção às exportações artísticas e culturais de terras de Sua Majestade.

Com contrato assinado para 48 noites com Bruno Koschmider, proprietário de vários night clubs em Hamburgo, os então desconhecidos The Beatles pisavam o palco do Indra Club para o seu primeiro concerto enquanto tal, no mesmo dia em que chegaram, a 17, e sem tempo para luxos como desfazer malas. Repleta de criminosos e de marinheiros e soldados em gozo de licença e ávidos por umas quantas horas de boémia despreocupada, Hamburgo pouco mais tinha a oferecer aos Beatles, na sua noite inaugural, do que uma plateia de proxenetas e de prostitutas e respectivos clientes. Foi portanto para uma plateia deste gabarito que o então quinteto de Liverpool se estreou, tocando longas versões de temas como «Be-Bop-a-Lula».

O resto, como se costuma dizer, é história… Sutcliffe viria a quedar-se pela Alemanha perdido de amores por uma local, onde viria a falecer de aneurisma dois anos mais tarde. Pete Best viria a ser despedido e substituído por Ringo Starr nesse mesmo ano de 1962, catapultando definitivamente os The Beatles para uma memorável carreira musical que só culminaria em 1970, após 12 álbuns e um preciosíssimo espólio musical, que arrebatou e continua a arrebatar os corações e os ouvidos de milhões e milhões de fãs por todo o planeta.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

  • Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

    Junte-se a 8 outros seguidores

%d bloggers like this: